#003 Pokémon

Reproduzir

Alô, alô!  Conversamos sobre o que há de ciência em Pokémon. Abordamos assuntos presentes no anime, no jogo de Game Boy e em Pokémon GO. Discutimos também se elementos da cultura pop devem buscar serem precisos cientificamente.

 Neste episódio ArnoniCaramelo e Marx recebem a Bala para conversar sobre o que há de Ciência no jogo mais baixado no mundo atualmente.

 

Comentários, críticas, sugestões? Email: contato@alociencia.com.br

facebook.com/alociencia | twitter.com/alociencia | instagram.com/alociencia | youtube.com/alociencia

Não esqueça de também enviar seu áudio para participar do nosso programa: Whatsapp/Telegram: (11) 94887-0901

 

Quer contribuir e ajudar nosso projeto a crescer?

Apoia-se: https://apoia.se/alociencia

Patreon : https://www.patreon.com/alociencia

 

Referências deste programa e materiais úteis:

POKÉMON EVOLUI? | Nerdologia 8

A desculpa do entretenimento (#Pirula 100)

Dragões de Garagem – #86 PokeCiência

Pokemon GO – O que sabemos sobre o jogo | Peixe Babel 88

Pokémon na vida real

Pokémon GO ajuda pessoas com depressão

GIF sobre Evolução Humana | Pictoline

Evolução Humana

 

Dicas

Arnoni: Castelo Rá-Tim-Bum!, O Terno – Melhor do que parece (2016)

Caramelo: The get down (Netflix, 2016), Frank Ocean – Blonde (2016)

Marx: Os Cavaleiros do Zodíaco

Bala: Pokémon Symphony Orchestra

 

Agradecimentos

Lucas Andrade (Intagram: @lukeraandrade) e Caramelo pela vitrine, Bala pela presença e Walter do IB-USP pela fonte que possibilitou a gravação deste episódio.

  • Alô, Ciência. 🙂
    Gente, parabéns pela iniciativa. Como disseram nos recados, mais gente divulgando ciência, das mais diversas formas, é algo a ser louvado e potencializado o máximo possível.
    Dois pontos sobre o episódio:
    – Quando vocês estão criticando o conceito de evolução em pokemon, cita-se que há traços passados de pai pra filho nos jogos posteriores. Isso é a partir da segunda geração, quando você tem o cruzamento de pokemons, e pais podem passar seus IVs (Individual Values) – espécie de “traços genéticos” que determinam seu ataque, defesa, velocidade – proa filhos. Isso estaria correto. Agora, passam-se também alguns golpes específicos; contudo, esses golpes são aprendidos ao longo do tempo por esses país, ou mesmo ensinado a partir de TMs ou HMs. Ou seja, ou esses golpes (mesmo os “artificiais”) estariam já nos genes de cada monstro, sendo “ativados” ao que ele se fortaleça ou seja ensinado (alguma forma próxima a epigenética), ou então essa parte seria mais uma prova de que a evolução do jogo é lamarckista. Mas eu não sou biólogo, muito menos geneticista; corrijam-me, por favor. 😉
    – Ainda sobre a evolução, achei interessante as críticas feitas ao jogo, mas achei que faltou uma explicação essencial: a correta. Sei que isso daria para (mais de) um episódio inteiro, mas ao menos alguns conceitos básicos comparativamente àqueles que são expostos no jogo para ficar mais fácil aos não-biólogos melhor entenderem as críticas. 🙂
    Um abraço!

    • alociencia

      Olá Fernando,
      ficamos muito felizes com seu comentário. Interessantes os pontos levantados, especialmente sobre os golpes que são passados através das gerações. Sobre Evolução, como você mesmo disse, é um tema que poderia levar um episódio inteiro, mas achamos válido o comentário sobre a falta de explicação no episódio para o público “não-biólogo”. Quem sabe corrigimos isso mais para frente com um episódio inteiro sobre o tema?
      Obrigado novamente pela mensagem e espero que esteja gostando do podcast.
      Abraços! 🙂

  • Henrique

    Oi marco! Aqui é seu aluno Henrique! Adorei o podcast e a partir deste podcast irei acompanhar todos! Parabéns à todos!

    • alociencia

      Olá Henrique,
      Que bom que você curtiu o podcast! Seja muito bem vindo ao maravilhoso mundo dos podcasts! 😉
      Muito obrigado!

    • Marco Marx

      Valeu Henrique! Aproveita o podcast! E pode mandar sugestões sempre que quiser!
      Abraço!